Comunicação - Notícias

Sintomas do cancro do colo do útero e o seu rastreio atempado

03/06/2015

Sintomas do cancro do colo do útero e o seu rastreio atempado

A propósito do Dia da Saúde Feminina, comemorado no passado 28 de maio, a DGS promoveu a difusão de mensagens sobre a importância do rastreio atempado do cancro do colo do útero

 

O cancro do colo do útero é o 2º tumor ginecológico maligno mais frequente nas mulheres portuguesas com menos de 50 anos, sendo que, em Portugal, morre uma mulher por dia na sequência desta doença. 

Este tumor é causado por uma infeção persistente do vírus HPV, mas trata-se de um cancro que pode ser prevenido. Apesar do seu desenvolvimento ser silencioso, é muito importante não se esperar pelos sinais de alarme - corrimento vaginal anormal, dor e perdas de sangue durante ou após a relação sexual.

A prevenção através do rastreio regular (citologia e/ou teste de HPV) é fundamental para evitar o cancro do colo do útero, sendo o teste HPV, o mais sensível para a deteção das lesões originadas pela infeção persistente pelo HPV que, não detetadas e tratadas precocemente, poderão evoluir para cancro.

O grupo de maior risco corresponde ao das mulheres entre os 25 e os 65 anos, pelo que se aconselha um exame ginecológico regular, de forma a assegurar um rastreio atempado.

 

Fonte: DGS

 

 

Voltar às notícias
Clique aqui - Ligamos Grátis Clique aqui
Ligamos Grátis